A Importância da Fisioterapia Preventiva e de Reabilitação.

A fisioterapia é a ciência que trata e previne distúrbios na funcionalidade do organismo humano por meio de agentes naturais e terapêuticos.
Na área esportiva, a fisioterapia vem ganhando espaço e credibilidade, em razão dos constantes estudos e investimentos feitos nesta área.

Antigamente, o principal uso da fisioterapia era voltado para a área de reabilitação, que consiste em tratar uma lesão instalada. Atualmente, o foco se volta cada vez mais para os trabalhos preventivos, que têm o objetivo de evitar que os atletas sofram lesões e, desta forma, melhorem seu desempenho e rendimento.

A fisioterapia de reabilitação consiste em restaurar os movimentos e funções comprometidas por uma doença ou acidente, diminuir processos inflamatórios, evitar dores, bem como realizar recuperação em fase pós operatória. O trabalho é realizado com ajuda de recursos terapêuticos como eletroterapia (aparelhos que utilizam eletricidade e que reduzem inflamações, dores e inchaços), termoterapia (utiliza calor), fototerapia (realizado com luz artificial), cinesioterapia (terapia feita a partir de movimentos corporais, como alongamento, por exemplo), mecanoterapia (aparelhos mecânicos que auxiliam a fortalecer, alongar e equilibrar musculatura), hidroterapia, massoterapia, crioterapia (gelo), entre outros.

Para realizar o trabalho de prevenção o fisioterapeuta tem que estar habilitado a avaliar o atleta e conhecer a fundo o esporte que o mesmo pratica. A partir daí, serão avaliados pontos principais e individuais que podem gerar uma lesão à curto, médio ou longo prazo.

Os pontos principais avaliados em um atleta de corrida são: postura, passada, tipo de pé e pisada, flexibilidade, equilíbrio de força e resistência muscular, tônus muscular e equilíbrio (ou propriocepção).

Após minuciosa avaliação, os fisioterapeutas procuram minimizar  os déficits individuais do atleta, aperfeiçoando qualidades existentes, para que seu corpo trabalhe da forma mais sincronizada possível.

Desta forma, além de diminuir eventuais riscos de lesão, o atleta pode até perceber um ganho de performance por isso!

Dra. Tatiana Abreu – Running News

Fonte: Fisioterapia.com

Deixe uma resposta