Desenvolvimento Motor Normal

O desenvolvimento motor é estudado para entender as mudanças que ocorrem no comportamento humano durante as várias fases da vida desde o nascimento, e assim, conhecer os fatores que interferem neste processo. É importante conhecermos o desenvolvimento motor normal para conseguir diagnosticar anormalidades e entrar com a intervenção adequada. Existe uma sequência previsível de crescimento e maturação no desenvolvimento motor normal da maioria das crianças, porém, mesmo tendo esta sequência prevista, cada criança tem padrões e ritmos individuais o que não significa que estejam com atraso no desenvolvimento motor normal.

Os principais fatores que interferem no desenvolvimento motor são:

1. Baixo peso ao nascer.

2 Distúrbios cardiovasculares, respiratórios e neurológicos.

3. Infecções neonatais.

4. Desnutrição.

5. Baixas condições sócio-econômicas.

6. Nível educacional precário dos pais.

7. Prematuridade.

8. Exploração do Ambiente.

9. Estímulo Externos.

ambiente_desenvolvimento

O que devemos observar em cada fase?

Recém-nascido
Vê bem mas só tem um alcance de 15 a 20 cm. Esta é a distância entre o peito e o rosto da mãe.
Tem o sentido do olfato completamente desenvolvido.
Ouve desde os 5 meses de gestação. É possível avaliar a sua reação aos sons com testes simples e estimulação adequados. A avaliação da sua capacidade auditiva é mais correta se for feita quando a criança já fala.
Ainda não tem controlo da cabeça,  já pode mexer os braços ao acaso e se mantém em na postura de flexão ainda como estava no útero.

1 mês
Foca objetos a 25 cm de distância.
Já não tem a persistência do reflexo de preensão, isto é, nem sempre fecha os dedos quando é estimulado na palma da mão.
Toda a musculatura está mais forte, por isso vai notar mais controle no posicionamento da cabeça e capacidade de movimentação, mas ainda não há controle total.
Distingue entre o claro e o escuro, mas não as cores.

2 meses
É capaz de levantar a cabeça sozinho durante mais tempo, quando deitado de barriga para baixo.
Ao ser colocado sentado, o bebé já consegue manter a cabeça estável por algum tempo.
Conta com o reflexo preensão palmar e segura objetos.

3 meses
Em posição prona (barriga para baixo), já pode usar os braços para suportar o peso do tronco e levantar totalmente a cabeça.
Ao ser estimulado a sentar a cabeça já fica alinhada ao corpo.

4 meses
Consegue sentar-se se devidamente apoiado.
Tem controle completo sobre a cabeça e usa-o para explorar o mundo à sua volta, olhando para ambos os lados.
Na posição prona começa a elevar-se com apoio das mãos e dos braços e vira a cabeça.
A ação de pegar objetos já é mais desenvolvida, sendo possível manter o brinquedo em mãos por mais tempo.

5 meses
Tem cada vez mais força nos membros e já começa levar os pés a boca.
Movimentos são mais coordenados.
Inicia o controle de tronco.

6 meses
Utiliza os membros para se movimentar, rolando para trás e para frente.
Suporta grande parte do seu peso nos membros superiores e inferiores.
Senta-se sem apoio por um curto período de tempo.
Consegue alcançar e agarrar o que quer ou a posicionar-se no chão para brincar.
Transfere objetos de uma mão para a outra.
A visão e a coordenação olho/mão encontram-se próximas da do adulto.

8 meses
Tem mais controle sobre os seus movimentos explorando melhor o ambiente.
É capaz de se sentar sem apoio e de se movimentar com bom equilíbrio.

10 meses
Senta-se por iniciativa própria.
Domina alguns movimentos finos, como a pinça com os dedos e o polegar.
Consegue gatinhar e andar agarrado às coisas. Nem todos os bebes gatinham, o que não significa atraso no desenvolvimento, e sim, que apenas pulou esta etapa.

12 meses
Caminha, agarrado, de mão dada ou independentemente, porém, esta etapa pode variar de uma criança para outra.
Consegue escolher, segurar, pôr ou tirar brinquedos de uma caixa.
Pinça fina bem definida e já consegue segurar uma caneta e arrisca alguns rabiscos.

desenvolvimento_infantil1A Fisioterapia atua no desenvolvimento infantil utilizando de técnicas no tratamento de pacientes neonatais, lactentes e pediátricos. A atuação segue sobre as crianças que apresentarem alguma alteração nas fases do desenvolvimento citadas anteriormente, estimulando-as de forma a igualar o desenvolvimento motor a idade da criança. Para isso usa de terapias lúdica e objetos como bola, bola feijão, bastão, bambolê e até mesmo brinquedos para prender a atenção da criança e estimulá-la a fazer a postura ou movimento necessário para o tratamento.

fisio_desenvolvimentoAcesse Shopfisio.com.br e veja os objetos mais usados na Fisioterapia Pediátrica.

Deixe uma resposta