Espondilolistese

A Espondilolistese é uma doença que afeta a coluna vertebral, e como já diz o significado de seu nome grego (spondylo = coluna/ olisthesis = escorregamento), se caracteriza por um escorregamento de uma vértebra sobre a outra seguinte.

 

 As causas são várias e vão determinar o tipo da doença. São elas:

  1. Degenerativa: Processo de envelhecimento normal da coluna gera o escorregamento.
  2. Traumática: O escorregamento acontece devido a acidentes e quedas.
  3.  Patológica: Diretamente ligada a presença de tumores.
  4.  Ístimicas: Acarretado por uma alteração mecânica, que pode ocorrer em crianças e adolescentes devido ao estirão de crescimento.
  5.  Diplásica: Relacionada a um defeito de formação.

Pessoas que exercem atividades que possam causar o aumento do arco lombar (lordose) excessivamente, praticantes de esportes de contato ou impacto, são os que têm maiores riscos de sofrer deste problema.

 

 

SINTOMAS

Devido ao fato de que são vários tipos de Espondilolistese, os sintomas podem ser diferentes. Entretanto, existem os que são comuns, como:

 

  • Depressão da pele em uma área específica da coluna.
  • Contratura no músculo posterior da coxa.
  • Dificuldades em andar.
  • Dor na Coluna Lombar.
  • Dor irradiada para os membros inferiores.

 

Sintomas como dores noturnas, perda de força muscular nos membros inferiores e emagrecimento, são menos comuns, mas também podem caracterizar a doença.

A análise clínica pode ajudar a descobrir a doença, mas o diagnóstico definitivo se dá através da radiografia e se complementa com a tomografia computadorizada e/ou ressonância magnética.

 

 

TRATAMENTO

Normalmente os tratamentos são conservadores e agem nos sintomas da doença. O tratamento medicamentoso se resume em analgésicos e antiinflamatórios, porém, técnicas como Reeducação Postural Global (RPG) e Pilates são fortemente indicados para melhora da postura e assim alivio das dores. No caso dos sintomas não melhorarem, há ainda opções como bloqueios, eletroterapia associada a técnicas como pompage e até mesmo a hidroterapia, são muito eficazes nestes casos, salvo que tais técnicas da fisioterapia devem ser feitas após anamnese detalhada de cada caso.

Deixe uma resposta