Gameterapia, a terapia divertida e eficiente para reabilitação.

gameterapia_reabilita

O vídeo-game é apenas uma forma de recreação para as crianças! Felizmente essa frase ficou no passado, com os avanços tecnológicos e a criação de consoles com sensor de movimento, os vídeo-games estão sendo cada vez mais utilizados por médicos e fisioterapeutas.

Além de entreter e divertir os pacientes, o que em muitos casos já ajuda na recuperação de algumas doenças, também auxiliam na recuperação da concentração e da coordenação motora.

A utilização da gameterapia em tratamento fisioterápicos dá ao paciente força muscular, melhora o equilíbrio, ajuda no condicionamento físico e ainda melhora nas habilidades motoras.

O desenvolvimento dos jogos para gameterapia é algo não muito simples e exige a participação conjunta de profissionais da saúde e da computação. Muitos detalhes devem ser levados em consideração nesse processo como cores, música, mensagens, movimentos, tempo do jogo, dificuldade, personagens, pois qualquer detalhe pode influenciar na reabilitação.

Algo que se deve prestar muita atenção no desenvolvimento desses jogos específicos é a retirada de qualquer mensagem negativa, que possa vir a desmotivar o paciente, como o sistema ganhador x perdedor. Os jogos devem estimular o paciente a querer se superar, mas estando sempre dentro dos limites do seu corpo e sua mente.

Como já sabemos, o vídeo-game pode ser algo viciante, e nesse sentido é o que mais dificulta nas sessões, pois fica difícil dizer ao paciente que a hora da terapia terminou, agora imagina para o fisioterapeuta falar isso para uma criança. A gameterapia é usada como complementar, o que deve durar uns 20 minutos em cada sessão.

Pesquisadores também constataram que além das melhorias físicas, há também a diminuição de episódios de depressão em pacientes acometidos do mal de Parkinson.

Cuide do corpo e da mente brincando.

Deixe uma resposta