Labirintopatia

Esta patologia afeta o labirinto, estrutura do ouvido interno constituída pela cóclea (responsável pela audição) e pelo vestíbulo (responsável pelo equilíbrio). Durante a Labirintopatia, também chamada de Labirintite, as áreas do ouvido interno ficam irritadas, inflamadas ou edemaciadas por algum motivo específico. Isso interfere no funcionamento normal das estruturas, o que inclui a capacidade de manter o equilíbrio e com isso podem ocorrer náuseas, tonturas, vômitos, sudorese, desarranjo intestinal e sensação de fraqueza associado a tremores.  O labirinto é um conjunto de arcos semicirculares que possuem líquidos em seu interior e a movimentação destes líquidos é interpretado pelo cérebro ajudando a identificar movimentos e a nos manter em equilíbrio. As informações passadas pelo labirinto através da movimentação destes líquidos ajudam o cérebro a interpretar movimentos angulares, acelerações lineares e forças gravitacionais. A patologia é caracterizada pela súbita e intensa vertigem rotatória, ou seja, aquela em que temos a impressão de que nós ou o ambiente ao redor está girando, seguida da náuseas e ás vezes vômito, e é mais comum em mulheres, em pessoas de idade superior a 40 e 50 anos e ainda é muito comum ocorrer na gestação devido a grande carga hormonal.  As vertigens costumam piorar sempre que há movimentos bruscos da cabeça, afetando equilíbrio.

ouvido_interno

Tratamento

Tratamento dos sintomas 

A primeira parte do tratamento consiste em aliviar o sintoma principal, a tontura. Podem ser utilizados medicamentos:

– Vasodilatadores: facilitam a circulação sanguínea e melhoram o calibre dos vasos muitas vezes reduzido pelas placas de ateromas;

– Labirinto-supressores: suprimem a tontura pela ação no sistema nervoso;

– Anticonvulsivantes e antidepressivos (inibidores seletivos de recaptação da serotonina);

– Drogas que atuam sobre outros sintomas, suprimindo a náusea, o vômito, o mal-estar.

Tratamento das Causas
Já o tratamento da causa é aquele que investiga e trata o problema que gerou a doença do labirinto.

 

Reabilitação Labiríntica
A reabilitação labiríntica é o tratamento fisioterapêutico da tontura, que pode ser utilizado com ou sem uso de medicamentos. A reabilitação vestibular utiliza diversos tipos de exercícios que devem ser adaptados a cada tipo de labirintopatia, sendo o  mais indicado para gestantes, podendo também ser usado em não gestantes. Os procedimentos terapêuticos de reabilitação procuram restaurar o equilíbrio, acelerando e estimulando os mecanismos naturais de compensação.


Alimentação

A patologia e a alimentação estão relacionadas, pois a alimentação pode interferir no local afetado e esta sendo adequada é de grande ajuda para o tratamento da labirintite. Desta forma, o indivíduo deve:

– Evitar o açúcar, enlatados, café, queijos amarelos, chocolate, biscoitos, pães, tortas, bolos, sal, refrigerantes, fast food e bebidas alcoólicas;

– Dar preferência a produtos integrais, frutas e legumes;

– Beber cerca de 2 litros de água por dia;

– Não fazer grandes intervalos entre as refeições.

Acesse Shopfisio.com.br e vejam os produtos que podem ser utilizados no tratamento fisioterapêutico da Labirintopatia.

Deixe uma resposta