O Pilates em grupo é a nova sensação nas Academias.

Vinda dos Estados Unidos, a ideia é estimular pessoas que não praticavam pilates por não gostarem de se exercitar individualmente.
Alunas da Body Tech iniciam mais uma sessão de Pilates Alegro, uma modalidade de pilates coletivo que chegou à unidade há três meses e vem agradando. Com 12 horários na grade da semana, a aula tem até dez alunos, cada um usando o seu próprio aparelho e recebendo orientações específicas do professor.

Vinda dos Estados Unidos, a ideia é estimular pessoas que não praticavam pilates por não gostarem de se exercitar individualmente. Esta é uma das novidades encontradas nas academias da região, que também apostam em aulas para adolescentes e modalidades criadas por seus professores. O objetivo, além de diversificar a oferta, é ter atrativos suficientes para manter as salas cheias mesmo nos meses mais frios, quando muita gente tem preguiça de malhar.

Foi passando por uma das salas da Body Tech que a estilista Edilene Sales resolveu conhecer o Pillates Alegro.

– Vi, gostei, comecei a fazer e já estou na turma há dois meses. Não é uma aula puxada, mas também não é fácil. Já consigo perceber uma grande melhora no alongamento e no equilíbrio. Até umas dores que eu tinha no quadril foram consideravelmente reduzidas – revela.

Henriette Honorato, uma das quatro professoras que se revezam no comando das turmas, vê poucas diferenças entre a aula individual e a coletiva.

– O professor é que precisa estar mais atento, para corrigir posições erradas – diz ela, acrescentando que grávidas e pessoas com problemas no joelho e hérnia de disco também podem praticar, mas recebem séries diferentes.

Circuito Teen e aula criada por professor

Um circuito de ginástica totalmente voltado para adolescentes e exercícios específicos para o equilíbrio. Segundo os responsáveis pelas academias, as turmas das duas modalidades estão sempre cheias.

No caso do programa teen, o diferencial é oferecer, de forma lúdica, atividades adequadas para adolescentes de 12 a 17 anos.

– A proposta é trabalhar a psicomotricidade, o equilíbrio e, principalmente, a postura corporal – diz Jorge Ribeiro, professor do treinamento em circuito, uma das atividades do programa.

A melhora da postura é também um dos principais benefícios obtidos pelos praticantes do Treinamento Estrutural Global (TEG), desenvolvido pelo professor de Educação Física Marcos Silva e realizado na By Fit. Nas aulas, o uso de acessórios como o chango paw, colocados sob os pés, ajudam a trabalhar ainda o equilíbrio.

– O TEG é fundamentado nos movimentos do corpo, e equilíbrio e postura estão interligados – explica Silva.

Fonte: Yahoo

Deixe uma resposta