O Ultrassom e suas variações

O ultrassom nada mais é do que um equipamento que emite ondas sonoras (vibrações mecânicas). Essas ondas são emitidas em feixes longitudinais. As vibrações realizadas pelas ondas sonoras fazem com que as células se “chacoalhem”, movimentando-as e gerando lipólise tecidual.

Para fins estéticos, o ultrassom é utilizado para ações analgésicas, anti-inflamatórias e antiedematosas. Sua ação ajuda na quebra de fibroses acumuladas no tecido conjuntivo dérmico (micromassagem celular). Também com este aparelho, é realizada a lipólise ou apoptose do tecido adiposo.

Os efeitos do Ultrassom são térmicos, mecânicos, produzem reações químicas e respostas biológicas.

Existem duas modalidades de ultrassom, contínuo e pulsado, a energia emitida pelo transmissor é, como o nome diz, contínua, sem cessões, enquanto a pulsada emite o ultrassom em pulsos.

O ultrassom transfere energia em formato de ondas. E segundo Wadsworth e Chanmungan, são utilizados dois tipos de frequência em procedimentos estéticos, 1 e 3mHz, enquanto 1mHz penetra o equivalente a 5cm e 3mHz penetra a 3cm. Estes centímetros remetem a espessura da gordura a ser tratada, onde esteticistas e fisioterapeutas podem aplicar ambas as frequências.

Atrelados ao ultrassom, existem espécies de uniões de procedimentos, chamados “Terapia Combinada”. Como por exemplo, o ultrassom acompanhado da corrente russa. Alguns destes, são:

Correntes Elétricas, Estereodinâmica / Estereodrenagem, Corrente Russa, BMAC (Burst Modulated Alternating Current), BMAC Motora, BMAC Sensorial, Eletrolipólise / Translipólise, Iontoporação e Microcorrentes.

Cavitação – fenômeno físico, que se manifesta após a variação no interior de um líquido, provocada por uma fonte sonora. As variações de pressão, agem sobre as microbolhas de gás presentes nos líquidos e tecidos orgânicos.

Ultracavitação vs Lipocavitação – Indicado para o tratamento de gordura localizada, o equipamento é reconhecido como um tipo diferente de ultrassom, onde pode apresentar faixas de frequências baixas (28 KHz até 80 KHz) ou altas (1 a 3 MHz). Possui um padrão distinto de emissão de ondas sonoras através de transdutores “focalizados” ou “planos”. É utilizado para trabalhar de forma seletiva com o objetivo de provocar o fenômeno cavitacional somente no tecido adiposo subcutâneo tratado, deixando os tecidos adjacentes intactos. Enquanto a lipocavitação tem o mesmo efeito, porém seu cabeçote é côncavo e não gera um zumbido no ouvido.

Peeling Ultrassônico – Trata-se de uma forma ultrassônica de realizar a limpeza de pele, pois possibilita a aplicação simultânea de terapia combinada, ou seja, a emissão do ultrassom juntamente com a estimulação elétrica que pode ser microcorrente ou microgalvânica para favorecer a renovação e o reequilíbrio da pele ou permear ativos ionizados.

Estas são algumas diferenças entre tipos de ultrassons, lembre-se de sempre observar qual tipo é usado para o tratamento a ser reproduzido e conforme as instruções do aparelho.

One comment on “O Ultrassom e suas variações

Deixe uma resposta