Pilates favorece a gestação, o nascimento e auxilia no pós-parto

Especialistas descobriram que praticar atividade física antes de engravidar e continuar a se exercitar mesmo durante a gestação pode ser muito saudável para a futura mamãe, já que o exercício prepara o corpo para uma gestação saudável e para o pós-parto. Entre as atividades bastante recomendadas estaria o método Pilates, que pode ser adaptado perfeitamente às necessidades e limitações da gestante, podendo prevenir, aliviar ou corrigir dores lombares, enfraquecimento do assoalho pélvico e das articulações.
De acordo com o professor André Ferreira, o Pilates tem se mostrado uma opção adequada especialmente para gestantes em busca de novas terapias para melhorar a qualidade de vida durante o momento em que ficam impedidas de realizar atividades de maior impacto. “Qualquer pessoa pode praticar, já que as aulas são personalizadas. É claro que é preciso respeitar o limite de cada pessoa, mas a atividade é indicada para problemas musculares, articulares, alterações posturais que geram dor nas costas, fibromialgia, osteoporose, além de ser eficaz também no tratamento de quadros depressivos, bem como para enrijecimento e perda leve de medidas”, ressalta Ferreira.
O especialista destaca que em geral a técnica ajuda a eliminar dores, amplia a capacidade de realizar movimentos com baixo impacto articular, possibilita à obtenção de força e equilíbrio muscular, melhora a coordenação motora e promove a correção postural. “O método facilita a circulação sanguínea e linfática, fundamental para bom funcionamento do organismo”, completa o professor.
Para mamãe e bebê os benefícios são ainda maiores. Segundo o especialista, as gestantes conseguem principalmente melhorar a circulação e a eliminação de dores musculares, devido às alterações de postura durante a gravidez. “No caso de mulher sedentária, a indicação é a partir do 3º mês, pois no primeiro trimestre ocorre a formação fetal e grande liberação hormonal, que influencia todo o corpo da mulher”, esclarece.
Nas aulas as gestantes aprendem a melhorar a postura, a fortalecer membros inferiores, a acionar e relaxar o assoalho pélvico, que evita a incontinência urinária de esforço, além de permitir a passagem do feto durante o parto normal; bem como aprendem a respirar melhor, aumentando a capacidade de relaxamento, necessária durante o trabalho de parto.

 

Fonte: Jornal da Manhã

Deixe uma resposta