Toxina Botulínica

Também conhecida por BOTOX, a Toxina Botulínica é  produzida por uma bactéria chamada Clostridium botulinum, que é a mesma bactéria causadora do Botulismo, que quando industrializada é purificada e usada em doses que não desencadeia reações adversas.

A ANVISA aprova e determina o uso desta substância em situações diferentes para cada país. Em 1992, o Botox se tornou a primeira toxina botulínica registrada no Brasil e, desde então, tem recebido um número progressivo de indicações estéticas e terapêuticas. As toxinas botulínicas industrializadas têm pequenas diferenças entre si e recebem subnomes como: OnabotulinumtoxinA (Botox®), AbobotulinumtoxinA (Dysport®), RimabotulinumtoxinB (Myobloc® – não está disponível no Brasil), IncobotulinumtoxinA (Xeomin®),  e as toxinas botulínicas de diferentes empresas têm características próprias, dosagens e eficácia variadas.

Quando é injetada nos locais com indicação de tratamento, a toxina botulínica atua bloqueando a transmissão de estímulos dos neurônios para os músculos, impedindo, parcial ou totalmente, a contração muscular, que apesar de ser irreversível,  é temporária, pois o organismo trata de construir novas vias de transmissão depois de algum tempo.

espaço

acao_botox

espaço

INDICAÇÕES

Estéticas

  • Linhas de expressão (teste, lateral dos olhos).
  • Arqueamento de sobrancelhas.
  • Rugas perilabiais (Código de Barras).
  • Tonificação das Maçãs do Rosto.

espaço

Terapêuticas

  • Estrabismo.
  • Blefaroespasmo. (piscar descontroladamente e excessivamente).
  • Bexiga Hiperativa.
  • Cefaleia.
  • Espasticidade (Decorrente de AVE e Paralisia Cerebral).
  • Hiperidrose.

espaço

Os profissionais que podem aplicar a toxina botulínica são Dermatologistas e Cirurgiões Plásticos, por serem mais preparados para aplicação da técnica.

A toxina, assim como todo medicamento, é contra indicado para indivíduos que apresentam hipersensibilidade a qualquer componente de sua formulação. Mulheres grávidas ou em amamentação, portadores de doenças neuromusculares, imunológicas e coagulopatias (ou ainda pessoas que utilizem anticoagulantes, aminoglicosídeos e drogas que interfiram na transmissão neuromuscular) não devem ser tratados com a substância.

O resultado da aplicação tanto na estética quanto na terapêutica, começará a se evidenciar de dois a cinco dias a partir do momento da aplicação, se pronunciando por até duas semanas. A partir de então os resultados ficarão estáveis pelo período aproximado de três a seis meses.

Deixe uma resposta