Microcorrentes: o que é, como funciona e benefícios para flacidez, acne e rejuvenescimento

Existem diversas correntes elétricas e talvez você não tenha ouvido falar das microcorrentes.

Sabia que essa corrente elétrica é muito conhecida e eficiente para tratar diversas patologias de forma não invasiva? Exatamente.

Quer entender como funciona as microcorrentes? Vem com a gente, te explicamos tudo!

O que são microcorrentes?

As microcorrentes são um tratamento de eletroestimulação que pertencem as correntes de baixa intensidade e baixa frequência.

A microcorrente ou MET pode ser usada de forma alternada ou contínua, depende do tratamento.

É comprovado cientificamente que essa corrente consegue aumentar em até 500% o metabolismo das células.

A modalidade de eletroestimulação também contribui para:

  • Eliminação de resíduos
  • Drenagem linfática local
  • Oxigenar os tecidos
  • Síntese de proteína
  • Produção de energia

Outros nomes para microcorrentes: MET, Microcurrent Electrical Therapy, Microterapia Celular, MTC, MNES e Micro Eletro Neuro Excitação.

Qual o uso das microcorrentes na fisioterapia?

As microcorrentes são utilizas para tratar flacidez muscular, esse é um dos melhores tratamentos para o problema. Também é indicado para aumentar a elasticidade da pele, viço natural, dores e textura.

Qual o uso na estética?

O uso estético da microcorrente é para potencializar a drenagem linfática local no pos operatório e trabalhar incômodos estéticos que precisam de estimulação da fibras de colágeno, como por exemplo:

  • Estrias
  • Linhas de expressão
  • Acne e cicatrizes
  • Pós-operatório de cirurgia plástica

Qual a diferença das microcorrentes para o TENS?

A principal diferença das microcorrentes para o TENS, é a estimulação a nível celular, ou seja, enquanto o TENS faz estimulação elétrica nervosa transcutânea para controlar a dor, a microcorrente tem o objetivo de reparar o tecido e controlar a dor através da estimulação celular. São objetivos diferentes para essas 2 correntes elétricas.

Quais são as principais indicações?

A microcorrente pode ser aplicada na fisioterapia e estética, sendo na fisio indicada para:

  • Dor crônica e aguda
  • Edema
  • Sinovite
  • Lesões desportivas
  • Lombalgia
  • Osteoartrite
  • Tendinite
  • Calcificações ósseas
  • Úlceras isquêmicas

Estética, usa-se:

  • Pós-operatório
  • Rugas
  • Linhas de expressão
  • Acne
  • Rugas e Linhas de expressão
  • Eletrolifting

Contraindicações da microcorrentes

Não pode aplicar em gravidas, pessoas com marca-passo, sobre a laringe, íons metálicos, feridas abertas, feridas que são lavadas com íons metálicos, sobre sino carotídeo, nos olhos, infecção, febre, tumores benignos e malignos.

São contraindicações normais de qualquer corrente elétrica.

Como é feito o tratamento?

O objetivo dessa corrente é normalizar o fluxo e reparar o tecido, ao estimular os tecidos com a microcorrente, a corrente elétrica biológica consegue aumentar a produção do ATP, isso resulta na recuperação dos tecidos, analgesia da dor e cicatrização.

Ou seja, a eletroestimulação feita por aparelhos de microcorrentes conseguem imitar a corrente elétrica biológica.

Quais são os principais aparelhos de microcorrentes?

Os principais e melhores aparelhos para microcorrentes são esses:

  1. Neurodyn Multicorrentes Ibramed
  2. Hygiadermo Acqua Kld
  3. Sonopeel Ibramed
  4. Striat Ibramed

Sempre escolha aparelhos seguros para sua terapia e com registro na Anvisa.

Quais são os protocolos de uso das microcorrentes?

Parâmetros mais comuns das microcorrentes são para o pós-operatório:

  • Intensidade: 100 a 500 microampère (estímulo de normalização, usar no início do tratamento)
  • Tempo: até 30 minutos
  • Sessões: 1 por semana

Esse tratamento pode ser combinado com ultrassom terapêutico 3MHz (uso estético), sendo que o fisioterapeuta pode usar a dosimetria de:

  • Modo pulsado – 5% na fase inflamatória,
  • 10% e 20% nas fases de cicatrização
  • Tempo: calcular tamanho da área
  • Intensidade: 1,5 W/cm

Vídeo para referência no pós operatório

Como as microcorrentes ajudam no rejuvenescimento?

O estudo “A Eletroestimulação por microcorrentes na revitalização facial” demonstrou como essa corrente elétrica ajuda no rejuvenescimento, a técnica foi validada e testada em paciente com flacidez facial de 40 a 50 anos.

De modo que a microcorrente é utilizada para eletrolifting, ou seja, levantar os tecidos, a faixa de intensidade entre 10 a 900 microampères, produz estímulos fisiológicos que estimulam a autocura e regeneração dos tecidos por meio da eletricidade endógena.

A corrente elétrica consegue melhorar a síntese de ATP e consequentemente melhorar o transporte de oxigênio para que o processo de cicatrização acelere.

Qual o número de sessões indicadas?

No mínimo 10 sessões, assim como qualquer outra corrente elétrica da fisioterapia e estética. Porém, tudo depende da necessidade do paciente e o incomodo estético, alguns tratamentos como acne, precisam de menos sessões. Entretanto, sessões para rejuvenescimento precisam de pelo menos 10.

Quem pode aplicar?

Fisioterapeutas, médicos e esteticistas. Porém, devem ser devidamente capacitados e habilitados pelo conselho regional.

Vale lembrar que os parelhos precisam de registro na Anvisa.

Quais cuidados realizar antes do procedimento?

Não precisa nenhum tipo de cuidado antes do procedimento, porém a pele não pode estar com creme, maquiagem ou machucada.

O que fazer após as sessões?

Após a sessão o profissional pode recomendar produtos para estimular o colágeno e elastina da pele, mas tudo de acordo com a orientação profissional.

Quais tratamentos podem potencializar os resultados?

O ultrassom terapêutico de 3MHz é muito utilizado para potencializar os resultados da microcorrente, a junção dos dois é excelente para melhorar a firmeza da pele e flacidez.

Como é o antes e o depois?

Separamos um antes e depois para que você possa validar a eficiência da microcorrente, essa técnica ainda é pouco utilizada pelos profissionais, mas muito eficiente veja:

microcorrentes antes e depois
Foto de Ana claudia Leme Duarte – Esteticista de São Paulo

Entendeu como as microcorrentes funcionam? Elas conseguem atuar na bioletricidade celular e simular a corrente elétrica endógena do nosso organismo, por isso conseguem aumentar a expressão de fatores de crescimento do corpo, além de estimular a regeneração tecidual. As principais aplicações dessa corrente elétrica tem sido na estética, principalmente para lifting facial (rejuvenescimento).

Esperamos que tenha gostado, não deixe de ver nosso artigo sobre a corrente galvânica. Te esperamos lá!!